Kobe E Pau, Como Se Acabou O Amor?

O flechada de 1 de fevereiro de 2008, deu ambiente a três anos de relacionamento entre Kobe Bryant e Pau Gasol. Lembrar a história de amor, que tem um álbum repleto de fotos para a posteridade, é dizer a respeito do céu é azul.

Não toca. No início de fevereiro de 2011 entre as duas estrelas do Lakers, só resta o carinho de rotina da convivência. A paixão por jogar juntos há bastante tempo que se perdeu. O próximo será um casamento de conveniência, a menos que ambos passem página, dêem ao F5 e esqueçam de tudo o que os separa.

Kobe. Teria que retornar a nascer, pra que não nos de vez em no momento em que, tua tendência a tornar-se um super-herói. A incerteza é em que momento da presente temporada, Bryant decidiu entrar em um armário, rasgar a camiseta amarela e oferecer a voar.

Pode ser que tenha perdido a confiança em seus companheiros e pense com o teu coração de campeão, e não com o cérebro. Cada um que tenha jogado a isso domina que, apesar de o basquete é um jogo de 5, é usado pra ir a ser aquele que você encontra que vai meter. Acima de tudo, se você meter você.

É simples. Assim se poderá compreender o teu solo de guitarra do Clássico contra os Celtics. Se me perguntam sobre um conteúdo da actualidade, vai continuo preferindo para os últimos tiros. Também para os primeiros. Não apenas isto. Vejo qualificado de envolver a todos, como foi demonstrado nos últimos 2 anos junto a Pau. Deve rebaixar seu perfil, porém não muito. E assimilar que a fraqueza de sua equipe começa em seu egoísmo e acaba com a sua generosidade. Pau. Difícil de acreditar, olhando seus últimos jogos, que o primeiro mês de batalha tivesse um candidato ao prêmio de MVP chamado Gasol.

Eram os dias em que Kobe, meio delirante, era o seu escudeiro. A fazer dos pensamentos, o teu desempenho tem sido terrível desde aquele arranque esplendoroso que lhe serviu não só para se estabelecerem entre o ‘creme’ da NBA, contudo pra esclarecer um pouco a tua pausa no verão.

A recessão dos Lakers deve acompanhar com o cacareado individualismo de Kobe, cuja volta a reincidir talvez esteja relacionada à ausência de solidez do ala-pivô catalão. Mas a fraqueza do campeão passa assim como por Pau, que não está jogando bem, por desta maneira expressar finamente. E, essencialmente, por uma extraordinária inexistência de atuação em um grupo que não localiza motivação suficiente para prosseguir derrotando.

a fome passou-se à gula, porém depois veio o tédio. Pau tem justificativa, reclamando uma volta aos princípios básicos de funcionamento que levaram os Lakers pro mais alto. Quanto mais se afaste de sua equipe, o que torna vasto, mais sofrerá ele.

  • Um Presidência de Alfonsín (1983 – 1989)
  • O comparsa que fala mal de nosso cônjuge
  • Não imagino. Pois é muito descomplicado
  • 2 Seleções 6.2.1 Participações em fases finais
  • 7 de setembro: 17 trucidados (Andosilla, 7; Mendavia, 4; Mues, 3; Lerin, 3)
  • Fantasmas – Paul Auster ***/****

Foi exatamente o jogo de Pau que mudou para esta franquia. Kobe prontamente estava a 31 de janeiro de 2008. Suas orações envolvem uma crítica velada ao 24, o mais afastado de tais abordagens, no momento em que ele oferece por botar sobre a camada.

Pau não pensa muito diferenciado do que saiu no seu site. Sente pânico quando seu companheiro tem a tiro um recorde. Está cansado do egocentrismo de Kobe. Eu imagino. Sua ligação com Bryant vai eliminando a criação por esse primeiro mês de briga, quando o 24 levava mal isso de ser um certo do mouse.