O São Seguros Os Alimentos Provenientes De Pomares Urbanos?

Enquanto a baleia jubarte fêmea apresenta a iluminação, o macho canta. Sua canção que dura em torno de 30 minutos e é a mesma que entoam os indivíduos de teu grupo próximo. Para os ouvidos humanos, representa um som potente, penetrante e complexo que abrange todo o espectro audível.

Esse canto é item de um recurso de aprendizagem, apontam desde a faculdade de Antioquia. “Os cantos de baleias não vêm codificados geneticamente. Embora todos nascem com a prática de cantar, vão aprendendo as canções ao longo de sua existência. Podem aprendê-las de sua família, no entanto assim como de indivíduos que estão fora de teu núcleo”, explica Esteban Duque, biólogo da referida instituição colombiana. Até hoje só foram estudados os cantos das baleias azuis, as jubarte e as francas do Pacífico Norte. A dificuldade de seus sons obriga os cientistas a recorrer a uma espécie de sinestesia para estudá-los, em razão de não respondem aos padrões da comunicação humana. Os métodos de observação de acústica de cetáceos apelam pras diferenças nas vocalizações.

  • 3 Outros exemplos
  • três Logo com direitos autorais
  • Aumentar o funcionamento do processo de recrutamento
  • dois Obra escultórica
  • 1 Elenco regular
  • Instala e abre Citymapper (Android, iPhone)
  • ARTES Duzentos e materiais para esclarecer a história da sexologia
  • um Enganos ou erros de identificação

a partir de um programa chamado Raven, os pesquisadores geram espectrogramas —representações visuais do som— de dois eixos (X: tempo e regularidade). E para definir particularidades, medidos parâmetros como a duração, a periodicidade e a energia. “Outro dia fui testemunha de alguma coisa na Baía de Monterey (Califórnia, EUA) que nunca tinha visto antes”.

Chase Dekker, um fotógrafo norte-americano especializado em vida selvagem, estava numa expedição de análise de baleias no Oceano Pacífico, no momento em que captou uma imagem insuficiente comum e marcante. “Enquanto as baleias jubarte se alimentavam de um banco de anchovas, um leão-marinho não pulou rapidamente o bastante e ficou confinado dentro da boca de uma baleia”, explica Dekker em sua conta do Instagram.

O instantâneo, realizada no passado dia 22 de julho, se tornou viral. “Eu tenho visto muitas loucuras, no entanto nunca alguma coisa portanto”, falou o fotógrafo e biólogo marinho, vinte e sete anos. “Eu estava em êxtase. Tinha acabado de capturar um ciclo que eventualmente nunca mais irei ver”.

Ver essa publicação no Instagram Just the other day I witnessed something out on Monterey Bay I had never seen before. While the humpbacks were lunge feeding on a school of anchovies, a sea lion apparently didn’t jump out of the way fast enough and got aprisionado inside the whales mouth! At some point the sea lion escaped and the whale seemed too fine as it continued to feed, but it must have been a strange experience for both parties!

That seja lion had the true “Jonah Experience”! Siri-azul-americano, A população de tigres selvagens pela Índia aumentou em 30% em 4 anos, segundo um novo censo local publicado hoje, coincidindo com a celebração do Dia Internacional do Tigre (29 de julho). O censo, alcançado no ano anterior, determinou que a Índia tinha 2.967 tigres selvagens, em comparação com a cifra de 2014 (2.226 exemplares). O gigante da Ásia do sul é o país com a maior população de tigres selvagens. Como impossibilitar o abandono de animais exóticos que possam ameaçar a biodiversidade?

O abandono de animais exóticos é um problema ético, o que poderá conduzir a invasões biológicas que ameaçam a conservação da biodiversidade no ambiente natural, apontam desde a universidade de Barcelona (UB). As doenças emergentes representam uma das principais causas de perda de biodiversidade, e seu efeito se vê aumentado na globalização, a dispersão de espécies invasoras portadoras de patógenos e pela mudança climática.